Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos
 Introdução
A Demanda de Água
 A Gestão da Demanda de Água
 A Disponibilidade de Água
Uso e Alocação de Água
 Uso Doméstico
 Agricultura
 Mineração e Indústrias
 Recreio e Turismo
 Produção de Energia Hidroeléctrica
 Registo & Alocação
 Caudais Ecológicos
 Mudança Climática e o Uso da Água
 Conservação e Reutilização
Infra-estruturas de Água
O Valor da Água
Monitorização dos Recursos
Investigação e Desenvolvimento
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Uso e Alocação de Água  

Os recursos hídricos da bacia do rio Kunene são muito utilizados para fins de irrigação, abeberamento de gado, exploração mineira, geração de energia e consumo doméstico. O uso de água da bacia hidrográfica para fins industriais é relativamente baixo. A irrigação é o principal sector de utilização dos recursos hídricos em Angola (90 % do consumo total) e na Namíbia (40 %).

Angola

O maior utilizador de água em Angola é o sector de irrigação (cerca de 340 000 hectares de terrenos irrigados), representando 90 % da utilização nacional de água, seguido da utilização para fins domésticos pelas populações urbanas e rurais.

A Estratégia de Desenvolvimento do Sector das Águas de Angola tem por objectivo aumentar o consumo urbano para 70 litros por habitante por dia (L/c*d), aumentando a produção para 90 L/c*d em todos os centros e reduzindo as perdas para 23 %. Se estas metas fossem atingidas e na presunção de uma taxa de crescimento demográfico urbano de 2,9 % (para atingir 11 milhões), o consumo doméstico urbano bruto atingiria cerca de 360 milhões de m³/ano até 2015. Se até então a área irrigada estiver em produção plena, com um desenvolvimento adicional e reabilitação até 783 000 ha, a demanda para efeitos de irrigação poderia atingir 10 150 milhões de m³ em 2015 (SWECO Grøner 2005).

Os fins para que se utiliza a água não destinada a consumo incluem a navegação, pesca e actividades recreativas no rio, mas a maior utilização para fins diferentes do consumo é a produção de energia hidroeléctrica. Angola tem um potencial considerável de produção de energia hidroeléctrica, calculado em 75 600 GWh por ano (o que equivale a 15 000 MW de capacidade instalada). Até hoje, só se desenvolveram 1 105 GWh deste potencial e nem todas as estações estão em funcionamento.

Barragem da Matala.
Fonte: Vogel 2010
( clique para ampliar )

Namíbia

Em 2008, a Namíbia extraiu, cerca de 334 milhões de m³ de água doce de recursos hídricos subterrâneos, de rios permanentes e de rios efémeros. 45 % do abastecimento total foi obtido a partir de recursos de superfície, sendo cerca de 20 % de rios permanentes e 25 % de rios efémeros.

O sector agrícola é o principal utilizador de água na Namíbia, onde cerca de dois terços (222 milhões de m³/ano em 2008) de toda a água no país é consumida por este sector. Dentro do sector agrícola, a agricultura comercial consome cerca de 60 % e os agricultores nos terrenos comunitários cerca de 40 %. 80 % da utilização da água na agricultura comercial resulta das necessidades de irrigação e 20% das necessidades do gado. Na agricultura comunitária, a irrigação precisou de 53 % da água e o gado de 47%. A área com irrigação em 2008 foi de 9 847 ha, o que corresponde a um volume médio de cerca de 13 700 m3 por há de terreno (IWRM Plan Joint Venture Namibia 2010).

A utilização de água para o gado inclui a água consumida pela fauna selvagem. O número de unidades das grandes manadas varia entre 3,5 e 5 milhões, conforme a precipitação e as condições de pastoreio.

O segundo maior grupo de utilizadores de água é o dos consumidores domésticos urbanos e rurais que, em 2008, representavam 23 % da demanda de água na Namíbia. Os agregados familiares em zonas urbanas, apenas com um terço da população, representaram 70 a 75 % da demanda total de água para fins domésticos. As actividades mineiras utilizaram cerca de 5 % de todos os recursos de água doce consumidos na Namíbia em 2008 (IWRM Plan Joint Venture Namibia 2010).

A Namíbia não tem indústrias pesadas; as indústrias de serviços e o respectivo consumo de água estão incluídos no consumo doméstico de água das zonas urbanas e rurais.

Utilização de Água por Sector

Sector
Angola Namíbia
Consumo Consumo
Mm³/ano % do Total Mm³/ano % do Total
Irrigação 2 851 90 135 40
Gado 105 3 87 26
Exploração mineira 60 2 16 5
Urbano 149* 5 66 20
Rural doméstico n.a. n.a. 10 3
Turismo n.a. n.a. 20 6
Total
3 165
100
334
100

* Inclui a utilização de água para fins domésticos pela população rural
Fonte: adaptado de SWECO Grøner, 2005; IWRM Plan Joint Venture Namibia, 2010

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Investigue as barragens e açudes na bacia do rio Kunene


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Explore como as barragens produzem energia hidroeléctrica