Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos
 Introdução
A Demanda de Água
 A Gestão da Demanda de Água
 A Disponibilidade de Água
 Uso e Alocação de Água
 Uso Doméstico
 Agricultura
 Mineração e Indústrias
Recreio e Turismo
 Produção de Energia Hidroeléctrica
 Registo & Alocação
 Caudais Ecológicos
 Mudança Climática e o Uso da Água
 Conservação e Reutilização
Infra-estruturas de Água
O Valor da Água
Monitorização dos Recursos
Investigação e Desenvolvimento
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Recreio e Turismo  

A recreação e o turismo são actividades populares na bacia do rio Kunene. O ecoturismo, definido como turismo sustentável e sensível dos pontos de vista ambiental e cultural, constitui um subgrupo do turismo baseado na natureza (Scholes e Biggs 2004). Na África Austral, o turismo baseado na natureza evidencia a biodiversidade e as características naturais da região e está a tornar-se um poderoso sector económico. Tem espaço para crescer muito mais mas tem também o potencial de prejudicar os seus próprios alicerces através de um desenvolvimento insensível, poluição e excesso de população. As políticas de gestão do ecossistema têm de incluir o sector do ecoturismo e regulamentá-lo; se for desenvolvido correctamente, o ecoturismo pode ser uma ferramenta para estimular a conservação.

O ecoturismo também foi integrado com o desenvolvimento social em muitas áreas da África Austral através da “gestão de recursos naturais com base na comunidade” e o envolvimento de meios tradicionais de vida.

Angola

O sector turísticoem Angola baseia-se na beleza natural do país, incluindo os seus rios, as suas quedas de água e a paisagem da sua faixa litoral. As atracções para os visitantes da bacia do rio Kunene incluem:

  • A Zona Húmida Costeira da Foz do Kunene, Angola/Namíbia;
  • O Parque Nacional do Iona, Angola;
  • O Parque Nacional do Bic uar, Angola; e
  • O Parque Nacional da Mupa, Angola.

O contributo dado pela economia das viagens e turismo para o emprego foi de cerca de 5,6 % (239 000 postos de trabalho) em 2009. O contributo para o PIB foi de 6,9 % em 2009 (World Travel and Tourism Council 2010).

Áreas protegidas na bacia do rio Kunene.
Fonte: AHT GROUP AG 2010 adoptado de Atlas of Namibia Project 2002
( clique para ampliar )

Namíbia

O turismo é um sector da economia namibiana em rápido crescimento e um criador significativo de emprego. É a terceira maior fonte de divisas estrangeiras, depois da exploração mineira e das pescas. O turismo e a recreação estão muito desenvolvidos na Namíbia com uma grande percentagem da população a trabalhar em actividades relacionadas com o turismo e contribuindo directa ou indirectamente com cerca de 15 % do PIB em 2008 e 18 % do emprego (71 000 postos de trabalho) (Namibia Tourism Board 2008).

As necessidades de água para o sector de turismo foram avaliadas em 20 milhões de m³ em 2008, o que representa perto de 6 % da demanda total de água. A demanda do turismo na unidade de planeamento “Kunene water basin”, definida pelo IWRM Plan Joint Venture Namibia 2010 e incluindo as bacias dos rios Kunene na Namíbia, Khumib, Hoarusib e Hoanib, foi calculada em cerca de 0,8 milhões de m³ em 50 estabelecimentos diferentes oferecendo uma capacidade de 1 100 camas (IWRM Plan Joint Venture Namibia 2010).

Estudo de GDA nos Estabelecimentos Turísticos da Namíbia

O Ministério da Agricultura, Água e Florestas, com o apoio do Water Research Fund for Southern Africa (WARFSA), realizou um estudo de Gestão da Demanda de Água (GDA) nos empreendimentos turísticos da Namíbia de 1999 a 2001. O estudo analisou a utilização da água em diferentes tipos de estabelecimentos turísticos, incluindo hotéis, empreendimentos de grande escala, lodges, parques de campismo comunitário e os chamados parques de campismo de ecoturismo. Os resultados mostraram que os acampamentos comunitários e os de ecoturismo eram os que menos água consumiam, muitas vezes devido a falta de água na zona, infra-estruturas básicas e a uma abordagem de gestão sustentável. Os grandes empreendimentos e os lodges de luxo gastavam 15 a 175 vezes mais água por cada hóspede do que os acampamentos comunitários e de ecoturismo.

O estudo analisou também a execução de iniciativas de GDA sob a forma de abordagens à tecnologia, sensibilidade e gestão em seis locais representativos dos diferentes tipos de empreendimentos turísticos, isto é, lodges, aldeamentos de férias, equipamentos urbanos, acampamentos comunitários e acampamentos de ecoturismo.

Todos os locais abrangidos pelo estudo receberam uma lista de recomendações sobre abordagens específicas e viáveis à GDA, que poderiam melhorar a sua eficiência na utilização de recursos hídricos. Todos os locais do estudo cooperaram voluntariamente com o projecto e, em cada local, foi atribuída aos respectivos gestores a responsabilidade de decidir quais as abordagens recomendadas de GDA deveriam aplicar e quais as que deveriam ignorar ou adiar.

Fonte: adaptado de Schachtschneider 2008

Os destinos populares de turismo na bacia do rio Kunene incluem:

  • O Parque Nacional da Costa dos Esqueletos, Namíbia;
  • Zona Húmida Costeira da Foz do Kunene, Namíbia/Angola; e
  • Vários lodges ao longo do rio Kunene como, por exemplo, em Epupa.

Há mais informações sobre estes locais no capítulo sobre Recursos da Biodiversidade e Áreas Protegidas.

O acampamento de Serra Cafema é um dos destinos favoritos dos turistas.
Fonte: © Ostby 2007 www.pgoimages.com
( clique para ampliar )
Os safaris nas zonas de animais selvagens são uma atracção turística importante.
Fonte: Khayat 2008
( clique para ampliar )

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Investigue as barragens e açudes na bacia do rio Kunene


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Explore como as barragens produzem energia hidroeléctrica