Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos
 Introdução
A Demanda de Água
Infra-estruturas de Água
 Barragens e Infra-Estruturas
 Sistema Integrado
 Infrastructure for hydropower in Angola
Infra-estruturas para o Abastecimento de Água
 Segurança Hídrica
 Armazenamento de Água
 Sistemas de Transferência
 Serviços de Águas Subterrâneas
 Infra-estruturas de Irrigação
 Operação e Manutenção das Infra-estruturas
 Reabilitação e Futuro Desenvolvimento
 Águas Residuais
O Valor da Água
Monitorização dos Recursos
Investigação e Desenvolvimento
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Infra-estruturas para o Abastecimento de Água  

As grandes infra-estruturas destinadas a garantir o abastecimento de água estão, geralmente, associadas aos assentamentos urbanos. Como largas áreas da bacia do rio Kunene são, essencialmente, zonas rurais com baixa densidade populacional, há relativamente poucas infra-estruturas para o abastecimento de água. No entanto, o rio Kunene é uma fonte importantíssima de abastecimento de água para o norte da Namíbia onde habita mais de 40 % da população namibiana.

As infra-estruturas existentes são descritas a seguir:

Abastecimento de Água no Huambo

O Huambo é a maior cidade da bacia e está situada no extremo norte do Alto Kunene, directamente na linha divisória das águas onde nasce o rio Kunene.

Uma parte da água potável fornecida ao Huambo provém do rio Kulimahala, afluente do Kunene, de onde se podem retirar até 1 300 m³/hora para tratamento na estação de Kulimahala, que está situada na extremidade leste da cidade. Daqui, a água tratada é bombeada para uma série de torres de água e, depois, fornecida aos clientes domésticos e aos chafarizes.

O funcionamento da estação de tratamento de água potável de Kulimahala depende da disponibilidade de energia hidroeléctrica da central recentemente reabilitada junto ao rio Cuando (ver Infra-estruturas para a Produção de Energia Hidroeléctrica) situada a cerca de 12 km a sudeste da estação de tratamento.

O Canal de Calueque e a Barragem de Olushandja

Segundo o Terceiro Acordo de 1969, a Namíbia tem direito de extrair água do rio em Calueque até um volume de 6 m³/s. Esta água é depois transferida para fora da bacia do rio Kunene através de um canal aberto, revestido de betão, passando a fronteira para o norte da Namíbia e seguindo na direcção da barragem de Olushandja. Esta está situada a pouca distância além dos limites da bacia do Kunene e é parte integrante do sistema de transferência de Calueque-Oshakati que transporta água potável até mais de 700 000 pessoas no norte da Namíbia (ver Sistemas de Transferência de Água em Massa). A barragem, concluída em 1990, fica a cerca de 20 km a sul de Calueque e tem um volume de 42 milhões de m³ quando cheia (NamPower). Esta barragem destina-se a manter o equilíbrio no volume de água e armazenar água proveniente do açude do Calueque em Angola.

Da água retirada do rio por bomba, até 2,1 m³/s destinam-se ao sistema de irrigação em Etunda, na Namíbia, e a restante é usada para abastecimento de água potável. O período de ponta máxima da demanda de água é em Outubro, mês em que o caudal do Kunene está no seu nível mais baixo. O reservatório de Olushandja serve, portanto para estabelecer e manter o equilíbrio desta demanda.

A barragem de Olushandja durante uma cheia.
Fonte: Amakali 2004
( clique para ampliar )

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Investigue as barragens e açudes na bacia do rio Kunene


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Explore como as barragens produzem energia hidroeléctrica