Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Gestão dos Recursos Hídricos
 Introdução
A Demanda de Água
Infra-estruturas de Água
 Barragens e Infra-Estruturas
 Sistemas de Transferência
 Serviços de Águas Subterrâneas
 Angola
Namíbia
 Impactos das Mudanças Climáticas
 Infra-estruturas de Irrigação
 Operação e Manutenção das Infra-estruturas
 Reabilitação e Futuro Desenvolvimento
 Águas Residuais
O Valor da Água
Monitorização dos Recursos
Investigação e Desenvolvimento
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Águas Subterrâneas na Namíbia  

Os recursos hídricos subterrâneos nacionais renováveis estão estimados em 2,1 km³/ano na Namíbia. As fontes de água subterrânea satisfazem cerca de 57 % da demanda total de água e os restantes 43 % são fornecidos a partir de fontes de água de superfície (FAO 1995).

A percentagem de precipitação anual média que contribui para o caudal fluvial em sistemas efémeros na Namíbia varia de um valor inferior a 1 % até cerca de 12,5 % em partes da bacia do rio Fish. A parte restante vai directamente para evaporação e evapotranspiração, sendo esta última de longe a componente maior. Uma parte do escoamento recarrega os aquíferos aluviais ao seguir para jusante e, ao fazê-lo, a maioria das enchentes dos rios efémeros acabam por desaparecer completamente na areia.Os rios efémeros da Namíbia são “rios efluentes”. Isto significa que o rio alimenta um nível freático baixo em vez de ter o seu fluxo alimentado por um nível freático alto como acontece com os “rios influentes”. As águas subterrâneas na Namíbia ocorrem numa vasta gama de tipos de rochas o que faz com que a sua gestão seja um processo complexo. Formam uma reserva contra as secas em muitas regiões do país mas ficam inerentemente vulneráveis ao excesso de exploração e à poluição.

Dentro da parte namibiana da bacia do rio Kunene, as reservas de água subterrânea têm, geralmente, um potencial muito limitado, com a ligeira excepção da formação dolomítica na margem oriental da bacia. A leste da bacia, a norte da bacia salina de Etosha, nas Regiões de Oshana e Oshikoto, a água subterrânea é salgada e os seus 700 000 habitantes dependem do Sistema de Transferência de Água de Calueque-Oshakati para satisfazerem as suas necessidades de água potável. A dessalinização desta água salobra para poder ser utilizada como água potável está em fase experimental e a água subterrânea não é utilizada para este fim. Mais para leste, a qualidade e o potencial da água subterrânea melhoram novamente.

Potencial das reservas de água subterrânea na Namíbia.
Fonte: NamWater 2007
( clique para ampliar )

Os aquíferos na Namíbia são classificados como aquíferos porosos (como, por exemplo, os aquíferos contínuos de arenito, os aquíferos não consolidados do Kalahari e os aquíferos aluviais) e aquíferos fracturados/cársticos que têm, em determinados locais, um potencial de água subterrânea. Partes do aquífero de Grootfontein-Otavi-Tsumeb Karstland foram sujeitos a investigações profundas e modelação e, no caso da área da Montanha de Otavi, identificaram-se as seguintes condições de recarga (FAO 2010b):

  • A taxa de recarga é de 2 % da precipitação média anual a longo prazo depois de uma sequência de épocas de chuva em que se excede a média anual;
  • A taxa de recarga é de 1 % da precipitação média anual a longo prazo depois de uma única época de chuva em que se excede a média anual; e
  • A taxa de recarga é de 0 % quando a precipitação não excede a precipitação média anual a longo prazo.

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Investigue as barragens e açudes na bacia do rio Kunene


Examine o comércio de água virtual e a pegada de água dos países da SADC


Explore como as barragens produzem energia hidroeléctrica