Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A População e o Rio

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Acesso à Agua Potável  

A água é uma necessidade fundamental para a vida e o bem-estar. Consequentemente, os assentamentos humanos desenvolvem-se tradicionalmente na proximidade de uma fonte de água.

Crianças retirando água de uma fonte protegida na Província do Huambo, em Angola.
Fonte: Tump 2006
( clique para ampliar )

Água Potável e Combate à Pobreza

Dado que a água é um requisito tão crítico para a vida, o melhoramento do acesso à água potável é um elemento chave para o desenvolvimento humano e para o combate à pobreza. De acordo com os padrões das Nações Unidas (NU), o acesso à água potável é medido através da proporção de população com acesso a uma quantidade adequada de água potável localizada a uma distância conveniente do domicílio do consumidor (WHO/UNICEF 2008).

A Escada da Água Potável

O abastecimento de água potável pode ser dividido em três categorias, ilustradas sob a forma de uma “escada da água potável”. A categoria “fontes de água potável melhoradas” inclui as fontes que, pela natureza da sua construção ou por intervenção activa estão protegidas de uma contaminação exterior, em particular de excrementos. Estas incluem as redes públicas de abastecimento de água potável, e outras fontes melhoradas. As “fontes não melhoradas” constituem o degrau inferior da escada. Esta categorização inclui não só a qualidade da água como critério de classificação, como também a sua acessibilidade geográfica e económica.

  • Fontes de água não melhoradas– poços escavados desprotegidos, nascentes desprotegidas, carroças e camiões-cisterna, água superficial (rios, barragens, lagos, reservatórios, córregos, canais e canais de irrigação), e água engarrafada.
  • Fontes de água melhoradas que não incluem a água potável das redes públicas – torneiras e bicas públicas, furos revestidos com tubos, furos de exploração, poços escavados protegidos, nascentes protegidas e recolha de água da chuva; e
  • Água potável das redes públicas – fornecida às habitações, terrenos e jardins.

Fonte: Adaptado de WHO/UNICEF 2010

A Água e o “Ciclo de Pobreza”

Pessoas e comunidades expostas à pobreza vivem frequentemente em áreas ou condições com acesso limitado ou sem acesso a água potável (e com instalações sanitárias deficientes ou inexistentes), conduzindo a um acréscimo de riscos para a saúde. Se a população pobre sofre de doenças relacionadas com a água e condições sanitárias – como a cólera, diarreia crónica, etc. – é difícil conseguir ou manter um trabalho ou produzir o próprio alimento – uma situação que, por sua vez, aumenta a pobreza. Isto, aliado a inúmeros outros factores (como a malnutrição, acesso limitado/inexistente a educação e transporte, etc.) conduz ao chamado “ciclo de pobreza”, que torna difícil as pessoas escaparem às condições de pobreza para melhorarem o seu bem-estar.

A Tarefa de Buscar Água: Uma Questão de Género

Um estudo realizado pela OMS/UNICEF (WHO/UNICEF 2008) constatou que, quando as pessoas necessitam de se deslocar durante mais de 30 minutos num percurso individual de transporte de água, estas estão mais predispostas a comprometerem o seu consumo diário de água, carregando menos água que aquela que o agregado familiar necessita para as necessidades básicas (para beber, para preparar comida e para a higiene pessoal). Quando a água potável não está imediatamente disponível, a tarefa de buscar e transportar água potável de uma localização remota recai com o dobro das probabilidades sobre as mulheres em relação aos homens.

Mulheres e crianças angolanas a buscarem água para as suas famílias.
Fonte: AHT GROUP AG 2010
( clique para ampliar )

Acesso à Água Potável na Parte Namibiana da Bacia do Kunene

Não são muitas pessoas que habitam a parte namibiana da bacia do Kunene. A água subterrânea é escassa devido à baixa pluviosidade e ao terreno rochoso, de modo que nem sempre é fácil ter acesso a água doce. Os habitantes da área obtêm a sua água de:

  • Fontes de água superficial (o rio Kunene e nascentes); e
  • Fontes de água subterrânea (poços escavados manualmente e furos).

O rio Kunene, sendo um rio perene que transporta água superficial ao longo de todo o ano é uma importante fonte de água para as comunidades Himba, para o seu gado, para a vida selvagem e para alguns estabelecimentos turísticos. As pessoas retiram a água directamente do rio e não existem sistemas de abastecimento de maior escala. Asnascentes são uma importante fonte adicional de água e poços escavados a mão são construídos quando existe água subterrânea a pouca profundidade. A água nos poços escavados a mão, normalmente não é água potável e só é segura para beber após ser fervida. A água mantém-se mais limpa quando o poço é protegido por uma cerca e uma cobertura adequada, a fim de evitar que o gado suje o mesmo. Osfuros estão normalmente localizados em áreas onde existe disponibilidade suficiente de água subterrânea de boa qualidade e onde existem assentamentos na proximidade. Os furos poderão deixar de fornecer água (de boa qualidade) se a bombagem da água for superior ao caudal de exploração aconselhável, ou se o equipamento de bombagem não for devidamente mantido.

Sistema de Transferência de Água de Calueque-Oshakati:Ao ser debatido o acesso a água potável ao longo do curso inferior do Kunene, é necessário ter em consideração as necessidades da população na bacia adjacente do Cuvelai. Esta área está dependente do rio Kunene para o seu abastecimento de água, sendo a água do rio extraída em Calueque, Angola. A água do Kunene é desviada para um canal aberto e transportada através da fronteira, para a bacia do Cuvelai. Aí, a água é tratada em estações de tratamento nas cidades de maior dimensão, e é então transportada por uma extensa rede de tubos, através da bacia central do Cuvelai. Para obter informações adicionais sobre esta transferência de água em massa entre bacias, consulte as secções sobre Sistemas de Transferência de Água em Massa e Uso Doméstico de Água no tópico sobre a Gestão dos Recursos Hídricos.

Para obter informações adicionais sobre o acesso a água potável na Namíbia, em Angola e na bacia do Kunene prossiga para:

  • Abastecimento de Água no capítulo Áreas Urbanas e Rurais;
  • Água e Saneamento no capítulo Iniciativas para o Desenvolvimento Humano; bem como
  • Cultura e Água no capítulo sobre a "População da Bacia".

Fonte: DRF 1999, IWRM Plan Joint Venture Namibia 2010 and DRF 1994.

Abastecimento de Água Melhorado

Os governos dos dois Estados da bacia do Kunene fizeram progressos em termos dum acesso a fontes de água potável melhoradas. A Namíbia tem uma cobertura quase total nas áreas urbanas e aumentou significativamente nas áreas rurais o acesso a fontes de água potável seguras nos últimos 20 anos. Angola também fez alguns progressos nas áreas urbanas; contudo, o acesso a água potável melhorada nas áreas rurais diminuiu ligeiramente.

Poderá obter informações adicionais acerca do desafio para manter a água potável livre de resíduos humanos e da pré-requisição de melhoramento do saneamento e higiene para a saúde humana aqui.

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Veja o cronograma histórico dos países da bacia do rio Kunene, incluindo os acordos e infra-estruturas de água


Cenas de vídeo sobre os San na Província de Kunene e o seu acesso limitado à água