Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
Clima e Tempo
 Princípios do Clima e Tempo
 O Clima na Bacia
O Clima Regional
 Padrões de Clima na Bacia
 Variabilidade Climática na Bacia
 Classificação Climática da Bacia
 Escassez de Água na Bacia
 A Seca na Bacia
 Recolha de Água da Chuva
 Mudanças Climáticas
Hidrologia
Qualidade da Água
Ecologia e Biodiversidade
Sub-bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

O Clima Regional  

A região austral de África pode ser, em termos gerais, dividida em dois grupos, segundo a Classificação Climática de Köppen (Pidwirny 2006; INGC/ FEWS NET Mind 2003):

  • Classe B – Climas secos: Próprio dos países do Sudoeste que fazem fronteira com o deserto do Kalahari: Angola, Botsuana, Zimbabué, Namíbia e África do Sul, com climas que vão de semi-árido e sub-húmido a leste, a hiper-árido a oeste.
  • Classe C – Climas de latitude média húmida com invernos moderados, que compreendem os países do leste, Tanzânia, Malaui, Moçambique, Suazilândia, Lesoto e países das Ilhas do Oceano Índico, com condições climáticas que variam de seco a condições de sub-tropical húmido de latitude média.

Para ver o mapa de distribuição destas classes climáticas na bacia do rio Kunene, favor conferir a Classificação do Clima da Bacia.

A África Austral encontra-se localizada entre o Oceano Atlântico e o Oceano Índico, zonas de alta pressão a oeste e a leste, respectivamente. A região é propensa a secas frequentes e distribuição de chuvas irregulares. A região tem duas estações distintas – uma estação das chuvas, aproximadamente de Novembro a Abril, e uma estação seca, aproximadamente de Maio a Outubro. A estação das chuvas ocorre quando a Zona de Convergência Intertropical (ZCI) (Allaby e Allaby 1999) se move para o sul, trazendo chuvas, e a estação seca ocorre quando o ZCI se afasta em direcção ao norte.

A precipitação na África Austral é em larga medida influenciada pela ZCI. A ZCI muda a sua posição durante o ano, deslocando-se entre o Equador e os Trópicos de Câncer e Capricórnio. A África Austral recebe o grosso da sua precipitação anual de Novembro até Março à medida que a ZCI se vai deslocando para o Sul. Quanto mais a sul a zona se deslocar, mais promissora é a estação das chuvas (Allaby e Allaby 1999). As posições médias da ZCI em Julho e Janeiro no quadro acima ilustram esta situação.

Numa estação normal das chuvas na África Austral, a influência da ZCI abrange o centro da Tanzânia até ao sul do Zimbabué e está associada à precipitação favorável. O sistema de “Altas Pressões” do Botsuana tende a afastar a ZCI, resultando normalmente em períodos de seca)(Instituto de Pesquisa Internacional 2000).

Variação da Zona de Convergência Intertropical (ZCI) em toda África por todo ano.
Fonte: Ker et al. 1978
( clique para ampliar )

Os oceanos jogam um papel muito importante no clima da região. A costa leste é influenciada pela corrente de Moçambique em direcção ao sul, a qual traz água quente e ar húmido do Equador, criando um clima húmido e quente. A costa oeste é influenciada, ao contrário, pela corrente fria de Benguela, do Oceano Atlântico, que produz um clima mais seco.

No interior da África Austral, há um forte gradiente de chuva de leste a oeste. Na Suazilândia e Lesoto para o leste, tanto a altitude como a exposição ao ar húmido vindo do Oceano Índico produzem as mais confiáveis e fortes chuvas. A precipitação total vai-se reduzindo gradualmente em direcção ao ocidente, de modo que muitas das regiões centrais e ocidentais são semi-desérticas com baixa e variável precipitação.

Em toda esta região do interior, as chuvas ocorrem principalmente no verão, acompanhadas de trovoadas. Há igualmente faixas de temperaturas diárias e sazonais como resultado dos efeitos da altitude e da posição “continental” (falta de influências do oceano). Os invernos são normalmente secos e ensolarados, enquanto que os verões são quentes e húmidos. A geada ocorre frequentemente no inverno e a neve é comum acima dos 1.500 metros. Esta variabilidade dos padrões climáticos, possivelmente devida às mudanças climáticas, às vezes resulta em seca ou cheias, o que afecta negativamente as actividades humanas.

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular