Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
Clima e Tempo
Hidrologia
Qualidade da Água
Ecologia e Biodiversidade
 Ecologia
 Ecologia Aquática
 Zonas Húmidas
 Biodiversidade
 Biodiversidade na Bacia
 Ecoregiões e Hotspots
Recursos da Biodiversidade
 Impactos Humanos
Sub-bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Recursos da Biodiversidade e Áreas Protegidas  

A força motriz da vida é a água doce, principalmente em paisagens secas e desertos como o curso inferior do Kunene. Aqui, o rio é um bem indispensável para a sobrevivência de plantas e animais. O isolamento de Zonas Húmidas importantes, como as da bacia salina de Etosha e da foz do rio Kunene (que fica a cerca de 700 km de distância da zona húmida permanente mais próxima), faz destas áreas um abrigo importante para pássaros e mamíferos.

As áreas protegidas importantes da bacia do rio Kunene são discutidas sob as secções seguintes:

  • Desafios para a Protecção da Biodiversidade; e
  • Descrição das Áreas Protegidas na Bacia.
Áreas protegidas na bacia do rio Kunene.
Fonte: AHT GROUP AG 2010 adoptado de Atlas of Namibia Project 2002
( clique para ampliar )

Desafios para a Protecção da Biodiversidade

As áreas protegidas são territórios designados para a preservação da biodiversidade e para o apoio a uma vida sustentável das pessoas que vivem nos parques ou ao redor destes (ver secção sobre Ecoturismo). O Parque Nacional da Costa dos Esqueletos e o Parque Nacional de Etosha na Namíbia são os recursos mais preciosos. Estes atraem turistas e geram benefícios para a protecção da biodiversidade bem como para o apoio de comunidades locais.

Infelizmente, anos de devastação e a caça descontrolada durante o conflito em Angola dizimaram a maior parte da vida selvagem em muitas áreas. Estão a ser feitos esforços no sentido de se melhorar a protecção da biodiversidade, por exemplo, através de um sistema de repovoamento no âmbito do Projecto Arca de Noéno Parque Nacional de Quissama.

Tem sido um desafio em Angola, encontrar um equilíbrio entre o melhoramento dos meios de vida de agricultores e pastores de gado que vivem dentro dos parques e a protecção dos recursos de biodiversidade, principalmente porque o turismo se encontra ainda numa fase precoce e muitos parques ainda não são capazes de produzir fundos suficientes.

Descrição das Áreas Protegidas na Bacia

As áreas protegidas na bacia do rio Kunene incluem:

  • Parque Nacional da Costa dos Esqueletos, Namíbia;
  • Parque Nacional do Iona, Angola;
  • Parque Nacional do Bicuar, Angola;
  • Parque Nacional da Mupa, Angola.

Está prevista a criação de uma área de conservação transfronteiriça (TFCA) para interligar o Parque Nacional do Iona em Angola com o Parque Nacional da Costa dos Esqueletos na Namíbia. A zona húmida costeira da foz do rio Kunene estará no centro desta TFCA.

Pode-se aceder a informações mais detalhadas sobre as áreas protegidas do mundo através do portal www.wdpa.org.

A bacia do rio Kunene é particularmente interessante devido à diversidade da sua avifauna. Informação mais detalhada encontra-se no website da ONG Birdlife International: www.birdlife.org.

Parque Nacional da Costa dos Esqueletos, Namíbia

Começando no extremo sul da bacia hidrográfica do Kunene, no seu limite inferior, este parque estende-se por cerca de 500 km ao longo da costa desértica da Namíbia. O nome do parque deriva dos esqueletos de náufragos encontrados no litoral. Proclamado como parque nacional em 1971, cobre uma área de aproximadamente 16 500 km². Partindo de um litoral regular de praias de areia, este parque atinge uma elevação máxima de 500 metros com dunas que se estendem em direcção ao interior por mais de 40 km. A corrente fria de Benguela do Oceano Atlântico domina o clima do parque e forma uma zona costeira de nevoeiro. A humidade do nevoeiro contribui para uma grande proporção do ciclo da água. Vários rios efémeros fluem das montanhas de Damaraland e Kaokoland em direcção à costa ocidental, onde as fozes dos rios se encontram normalmente bloqueadas pelas dunas. Isto resulta na formação de lagoas de água doce, algumas das quais são permanentes. O parque favorece o habitat de mais de 30 espécies de mamíferos e populações importantes de aves.

Oryx gazella no Parque Nacional da Costa dos Esqueletos.
Fonte: © Ostby 2007 www.pgoimages.com
( clique para ampliar )

Zona Húmida Costeira na Foz do Rio Kunene, Namíbia e Angola

Uma pequena lagoa de água doce com ilhas localiza-se na foz do rio Kunene, na fronteira entre Angola e Namíbia. O Parque Nacional da Costa dos Esqueletos localiza-se a sul e o Parque Nacional do Iona a norte da foz do rio. A zona húmida abrange uma área pequena de aproximadamente 500 ha com uma vegetação exuberante em contraste ao deserto à sua volta. Elefantes visitam a lagoa, crocodilos multiplicam-se na ilha e foram também observadas tartarugas verdes no estuário. Anderson (et al. 2001) registou pelo menos 56 espécies de aves. A foz do rio é uma área importante de adaptação e alimentação para limícolas, provavelmente por causa da sua localização isolada ao longo da Costa Atlântica - a zona húmida permanente mais próxima é Walvis Bay, que fica á alguns 700 km de distância. A zona húmida na foz do Kunene é reconhecida como sendo uma área importante para aves, tais como o sternula balaenarum, pelicano-branco, borrelho-de-colar-arruivado e algumas outras espécies (Anderson et al. 2001).

A foz do Rio Kunene é também frequentada por répteis e peixes os quais dependem de habitats aquáticos permanentes. Os répteis incluem o crocodilo-do-nilo (crocodylus niloticus), o lagarto-do-nilo (varanus niloticus), a tartaruga trionyx triunguis, a píton-africana (python sebae) e a tartaruga-verde (chelonia mydas).

Parque Nacional do Iona, Angola

O Parque Nacional do Iona, localizado na província angolana de Namibe e fazendo fronteira com o Parque Nacional da Costa dos Esqueletos na Namíbia, é o parque mais antigo e maior em Angola, cobrindo uma área de 15 000 km². O rio Kunene forma a sua fronteira natural a sul, e o Oceano Atlântico com a sua corrente fria de Benguela forma o seu limite ocidental. É uma área árida, semelhante à do Parque Nacional da Costa dos Esqueletos, com precipitações que variam entre os 100 mm na costa e os 400 mm em direcção às Montanhas Tchamalinde no seu limite a nordeste.

Há uma variedade de ecossistemas de deserto e semi-deserto no Parque Nacional do Iona, incluindo dunas móveis ao longo da costa, planícies de caliche, pradarias desérticas de aristida perenee stipagrostis, matagais áridos montanhosos, e savana árida. Como resultado do gradiente de chuva, as pradarias perenes no parque transformam-se em savanas semi-áridas de acacia-commiphora mais a leste em direcção aos bosques de mopane (colophospermum mopane) (BirdLife International website 2009).

Parque Nacional da Mupa, Angola

O Parque Nacional da Mupa cobre uma área de cerca de 6 600 km² e situa-se na Província de Kunene. Encontra-se entre dois rios perenes, o rio Kunene a oeste e o rio Colui a norte e noroeste. O Parque Nacional da Mupa estende-se ao longo das secções médias do Kunene, onde o rio forma habitats de planícies de inundação, com precipitação anual de aproximadamente 620 mm. Suspeita-se que a avifauna seja particularmente rica, especialmente de aves aquáticas. As pessoas que vivem dentro do Parque Nacional da Mupa usam esta área para a agricultura e principalmente para o pastoreio.

Parque Nacional do Bicuar, Angola

O Parque Nacional do Bicuar situa-se na Província de Huíla em Angola. Cobre uma área de 7 900 km², a uma elevação de entre 1 100 e 1 400 metros. O rio Kunene forma os seus limites orientais.

Pelicanos na foz do rio Kunene.
Fonte: Khayat 2008
( clique para ampliar )

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular