Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
 Bacias da África Austral
Bacia do Rio Kunene
 Geologia
 Solos
 Ocupação do Solo
Clima e Tempo
Hidrologia
Qualidade da Água
Ecologia e Biodiversidade
Sub-bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Bacia do Rio Kunene  

Introdução

O rio Kunene nasce nas terras altas de Angola em altitudes entre 1 700 e 2 000 metros acima do nível do mar (m.a.n.m.), 32 km a este da cidade do Huambo. Este planalto consiste em uma superfície ondulada erodida sobre um fundamento rochoso. A área é caracterizada por precipitações regulares e solos férteis e tornou-se zona agrícola densamente povoada. Nesta área situam-se as cabeceiras de outros rios importantes como o Kuanza, Queve e Kubango.

Geograficamente, a bacia pode ser dividida em três secções principais: Alto, Médio e Baixo Kunene. O Alto Kunene, localizado no Planalto Central de Angola em altitudes entre 1 800 e 1 200 metros, abrangendo as cidades do Huambo e Matala, é caracterizado por suaves colinas separadas por grandes vales rasos. O Médio Kunene consiste em colinas suaves nas áreas a norte com terrenos que se vão tornando mais planos em direcção a Ruacaná e à fronteira namibiana, enquanto o Baixo Kunene exibe uma topografia montanhosa e condições semi-áridas a áridas. Perto da foz, o rio atravessa o deserto do Namibe.

A relativamente pequena bacia hidrográfica e o declive íngreme do leito do rio Kunene nas secções alta e baixa significam que o fluxo é relativamente rápido em direcção à costa, deixando o rio quase seco no fim da estação seca. Os afluentes do curso superior no norte são tipicamente perenes enquanto os afluentes que alimentam o curso médio são, na sua maioria, perenes e drenam grandes planícies de inundação. Os afluentes nos trechos inferiores do Kunene são efémeros (temporários), caracterizados por curtas enchentes. Devido àscondiçõesáridasencontradas nessa região, os afluentes da bacia inferior somente contribuem com fluxos insignificantes para o Kunene.

A área total da bacia é de 106 500 km ², da qual 14 100 km ² (13 %) se encontram em território namibiano.

O mapa abaixo mostra o relevo e o padrão de drenagem da bacia, derivado de um modelo de elevação de resolução digital de 90m (CGIAR 2008). A variação geomorfológica nas três sub-bacias é claramente visível a partir deste modelo de elevação.

Padrão de drenagem da bacia do rio Kunene.
Fonte: AHT GROUP AG 2010
( clique para ampliar )

Perfil Longitudinal

O perfil longitudinal do sistema do rio Kunene ilustra a variação da topografia na bacia. No declive acentuado do Alto Kunene, o canal principal está bem definido com uma série de corredeiras e secções íngremes. A sul de Matala, no Médio Kunene, o perfil do rio muda a medida que vai fluindo com baixo gradiente em direcção às areias do Kalahari. Aqui a margem oriental está bem definida, enquanto a margem oeste tem vastas planícies de inundação (DRWS 2001). Estas duas secções superiores pertencem a um sistema antigo de drenagem, desenvolvido antes da formação do continente africano, enquanto, a secção inferior foi formada por erosão regressiva a partir da costa. Antes disto, o Médio Kunene era uma zona de delta interior, desaguando, junto com as águas do Cuvelai, em um lago que é hoje em dia a tal chamada bacia salina de Etosha (Etosha Pan), semelhante ao actual delta do Okavango. Os depósitos antigos ainda são inundados anualmente e agem como uma armadilha de sedimentos produzidos mais a montante. No Baixo Kunene, a oeste da barragem do Calueque ao longo de todo o trecho fronteiriço – abrangendo uma distância de aproximadamente 385 km – o rio desce quase 1 200 metros e possui várias quedas espectaculares, as mais importantes sendo as Quedas de Ruacaná, Quedas de Epupa e Quedas de Kivale (PJTC 1998).

Perfil de Elevação do Rio Kunene.
Fonte: AHT GROUP AG 2010
( clique para ampliar )

Eco-regiões

O desenvolvimento geomorfológico e a variação climatológica na bacia do rio Kunene criaram um ambiente peculiar em termos de regiões ecológicas. Do norte ao sudoeste, as regiões eco-geográficas principais na bacia são:

  • Floresta Afromontane angolana (com florestas tropicais e subtropicais húmidas);
  • Florestas angolanas de Miombo (com pradarias tropicais e subtropicais, savanas e matagais);
  • Bosques de Acacia-Baikiaea do Kalahari (com pradarias tropicais e subtropicais, savanas e matagais);
  • Bosques angolanos de Mopane (com pradarias tropicais e subtropicais, savanas e matagais);
  • Nama Karoo (desertos e matagais xéricos); e
  • Deserto de Kaokoveld (Desertos e matagais xéricos).
Eco-regiões na bacia do rio Kunene.
Fonte: AHT GROUP AG 2010 adoptado de WWF 2004
( clique para ampliar )

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular