Angola Namibia Sobre Como Usar Glossário Documentos Imagens Mapas Google Earth go
Favor fornecer feedback! Clique para detalhes
Home The River Basin People and the River Governance Resource Management
A Bacia do Rio
 Introdução
Geografia
Clima e Tempo
Hidrologia
Qualidade da Água
 Princípios
 Características Físicas da Água
 Temperatura da Água
 Oxigénio Dissolvido
Variáveis Convencionais
 Qualidade Química
 Qualidade Biológica
 Características Qualitativas da Água
 Impactos Antrópicos sobre a Qualidade da Água
Ecologia e Biodiversidade
Sub-bacias
 Referências

 



Feedback

send a comment

Feedback

 

Variáveis Convencionais  

Variáveis convencionais são indicadores de qualidade de água, comummente medidos, para estabelecer o quadro geral do ambiente aquático, incluindo as influências da bacia de drenagem e as condições ambientais locais, a variabilidade sazonal e anual e a habilidade para apoiar a vida aquática.

pH

pH é a medida da concentração do ião do hidrogénio (H+) na água, e caracteriza o equilíbrio acido/base da água. O pH 7 representa condições neutras, o pH maior do que 7 indica condições básicas (alcalinas). O pH da maioria das águas naturais está entre 6,0 e 8,5. Uma unidade de pH representa um décimo de diferença da concentração do ião de hidrogénio. O pH 6 é dez vezes menos ácido do que o pH 5. (pH é calculado como inverso do logaritmo da concentração do ião do hidrogénio: pH = – log [H+]).

Equipamentos para a medição da condutividade eléctrica.
Fonte: Heinze 2008
( clique para ampliar )
Medidor de pH.
Fonte: Heinze 2008
( clique para ampliar )

O pH afecta tanto o processo biológico como o químico. Os valores de pH abaixo de 4,5 e acima de 9,5 geralmente são letais para os organismos aquáticos e mesmo valores de pH menos drásticos podem afectar a reprodução e outros processos biológicos.

O pH afecta a solubilidade dos compostos orgânicos, metais e sais. Águas altamente ácidas podem dissolver metais e outras substâncias. O pH pode também determinar a forma química de certos componentes químicos, os quais, por seu lado, podem afectar a reactividade, a bio-acumulação e a toxicidade. Por exemplo, muitos metais são mais bio-acumuláveis (mais facilmente absorvidos por seres vivos) em baixo pH porque ficam ionizados. Muitos contaminantes orgânicos são ácidos fracos não-ionizados e são mais propensos a entrar em organismos com pH baixo.

Por exemplo, a amónia é um químico tóxico comum na àgua e toma duas formas: amónia, NH3, e o ião do amónio NH+A proporção relativa entre as duas formas depende do pH e da temperatura. Amónia não-ionizado (NH3) é mais tóxica para organismos aquáticos porque ela pode atravessar membranas biológicas como, por exemplo, a guelra. À medida que o pH e a temperatura aumentam, aumenta também a proporção relativa do NH3, elevando portanto a toxicidade para os organismos aquáticos.

O pH de um corpo de água reflecte os influxos presentes na água e as características das terras envolventes. O pH do escorrimento superficial da terra ou dos influxos da água subterrânea para a água superficial depende dos minerais e dos solos que a água toca enquanto se movimenta através da terra. A água drenada de florestas e pântanos pode ser ácida, após ter dissolvido ácidos orgânicos fracos dos materiais orgânicos ali situados, enquanto que a água que se movimenta através de depósitos de calcário, pode ser ligeiramente alcalina.

Sólidos Totais Dissolvidos e Condutividade

A concentração total dos sólidos dissolvidos (TSD) é a medida da quantidade de material dissolvido na água. TSD inclui solutos como sódio, cálcio, magnésio, bicarbonato, cloro e outros, que se mantêm como resíduo sólido depois da evaporação da água de uma amostra. A água doce, habitualmente, tem níveis de TSD entre 0 a 1 000 mg/L, dependendo da geologia da região, clima, intempéries e outras características geográficas que afectam as fontes de material dissolvido e a sua condução para um sistema hídrico.

Condutividade, é a medida da habilidade para conduzir uma corrente eléctrica e é o oposto da resistividade. Quanto maior for a concentração de iões na água, maior é a quantidade de corrente que ela consegue conduzir. Condutividade é portanto sensível à quantidade de sólidos dissolvidos – particularmente sais minerais – na água, e também depende da quantidade de carga eléctrica em cada ião, mobilidade do ião e temperatura. Há uma definida relação entre TSD e condutividade para a água recolhida de uma região específica.

Expressa em unidades de microsiemens por centímetro (µS/cm), a condutividade geralmente varia entre 10 e 1 000 µS/cm, na maioria dos rios ou lagos que têm saídas.

Sugestão de Classificação da Água Baseada na Condutividade

Condutividade

Classificação

< 600 µS/cm

Água doce

600 - 6 000 µS/cm

Moderadamente salina

> 6 000 µS/cm

Salina

Fonte: Talling and Talling (1965)

Adicionalmente ao intemperismo natural e input do material geológico, as fontes de STD incluem mineração, efluentes industriais e domésticos e agricultura. A condutividade pode ser utilizada para delinear zonas de poluição – a extensão da influência da descarga de resíduos ou de água de escorrimento superficial. Elevados níveis de sólidos totais dissolvidos e aumento de condutividade transformam a água menos adequada para beber e para irrigação.

Sedimentos em Suspensão

Os sedimentos em suspensão são caracterizados como a massa de sedimentos suspensos por unidade de volume de água (unidades de mg/L) e são habitualmente expressos em TST (Transporte Sólido Total). As partículas suspensas na coluna de água, são habitualmente menos de 0.1 mm em diâmetro e são na maioria partículas da dimensão de limo e argilas. Estas partículas são transportadas pela corrente de àgua e depositam-se quando a corrente é insuficiente para os manter em suspensão. Concentrações de sedimentos em suspensão geralmente aumentam durante períodos de aumento do caudal devido às chuvas, alcançando um máximo no pico – ou próximo ao pico do hidrograma – e rebaixam relativamente rápido com o limo de recessão do hidrograma (Beschta 1996).

 

 



Interactive

Explore as sub-bacias do rio Kunene


Entrevista sobre a gestão integrada e transfronteiriça da bacia do rio Kunene


Explore as interacções entre os organismos no meio aquático


Examine como o ciclo hidrológico faz a água circular